História do Meriva


O Chevrolet Meriva foi lançado no Brasil em agosto de 2002, já como modelo 2003, o monovolume da Chevrolet já passou por três atualizações e ganhou uma versão esportiva a SS.

Ele foi desenvolvido por engenheiros e designers brasileiros, em parceria com a Opel (braço europeu da GM).

Quando foi lançado aqui no Brasil em 2002 saiu com motor 1.8 8V de 102CV e 1.8 16V de 122CV. Esse motor 1.8 16V com coletor variável de 122CV foi fornecido pela Powertrain (união entre a GM e a Fiat para produção de motores, já extinta). Apenas por curiosidade, esse mesmo motor 1.8 16V equipa também os Fiat Stilo. O consumidor gostou muito do Meriva, tanto que no ano do seu lançamento apesar de sua comercialização ter iniciado em agosto, segundo levantamento feito pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), no total foram emplacados 6.019 modelos.

Em novembro de 2003 a Chevrolet apresentou o Meriva com motorização Flex (que permite ser abastecido com álcool ou com gasolina) 1.8 8V, já como modelo 2004. Ficando com 112CV abastecido com gasolina e 114CV abastecido com álcool. Nesta fase, a Chevrolet tirou de linha o Meriva com motor 1.8 16V.

Em agosto de 2004, a GM promoveu alterações nos pacotes de itens, foi quando mudaram a denominação das versões para Joy, Maxx, e Premium, sem alterar o seu desenho externo.

Em 2005 ganhou a versão esportiva denominada SS.

No final de 2007, início de 2008 chegou a versão Easytronic, que usa transmissão automatizada. A novidade é oferecida exclusivamente na versão Premium e se caracteriza pelo funcionamento de câmbio automático ou manual, ao gosto do condutor, além de excluir o pedal de embreagem do veículo.

No final de 2008 foi lançada a Meriva 1.4 Econo.Flex, sendo assim a partir dessa data a Meriva aqui no Brasil está sendo fabricada nas versões Jox e Maxx com motor 1.4 Econo.Flex e câmbio manual e nas versões Expression, Premium e SS com motor 1.8 e câmbio Easytronic. A única mudança que teve no seu visual foi a grade dianteira e o símbolo da Chevrolet na dianteira e na traseira.

O Meriva mede 4.04 metros de comprimento, por 1.69 de largura e tem eixos de 2.63 metros.

É um monovolume super confortável, que possui vários atrativos, como: bancos traseiros que podem ser deslocados para as laterais e para frente proporcionando maior conforto aos seus passageiros, você tem a possibilidade de aumentar o espaço do porta-malas modificando a "configuração" do banco traseiro, possui mesas e porta-revista no encosto dos bancos dianteiros.

As pessoas que gostam de guardar um monte de coisa dentro do carro vão ficar fascinadas pela quantidade de porta-trecos do Meriva, algumas versões chegam a ter 32 compartimentos do tipo. Ele também possui porta-luvas refrigerado e iluminado.

O condutor pode se acomodar como desejar, já que ele pode adaptar o banco as suas necessidades; além do encosto do banco, a altura do próprio assento pode ser ajustada para proporcionar maior bem estar.

A direção é leve e precisa, além de contar com assistência eletro-hidraulica.

É um carro com boa facilidade de manobras e boa posição para condução do veículo, isso são coisas logo notadas no mesmo.

Ao volante o motorista tem ao alcance das mãos os principais comandos.

O painel de instrumentos é composto de quatro mostradores circulares; velocímetro, conta-giros, combustível e temperatura.

Suas portas são travadas automaticamente quando se atinge a velocidade de 30 Km/h e os vidros elétricos têm função "um toque" e antiesmagamento.

Algumas versões como o Meriva Premium, vêm equipadas com o sistema ABS de freios. Apesar de mais caros, eles representam um significativo ganho na segurança em relação aos freios comuns (a disco e a tambor).

Caso você possa, pegue um com rodas de liga leve, elas não são apenas mais bonitas que as de aço, são também mais funcionais. Isso porque, por serem mais leves, diminui tanto o esforço para colocá-las em movimento (nas acelerações) quanto para interromper esse movimento (nas frenagens).